Calças e bermudas jeans adaptadas com a tecnologia Megaflex para cadeirantes

O  jeans Megaflex é uma forte tendência mundial, desenvolvido com avançado processo tecnológico Thermoelast, proporcionando ajuste perfeito ao corpo e maxmizando a amplitude de movimento. É um jeanswear com visual moderno, confortável, com toque ultramacio e com aparência de um moletom.

Benefícios das calças e bermudas adaptadas:

-Tecnologia Megaflex: Visual do jeans com o conforto do moletom;

-Aviamentos facilitadores e resistentes para abertura e fechamento das peças;

-Lavagem: escura ou clara;

-Modelagem especial com elástico no cós, que possibilita a acomodação perfeita, principalmente para quem faz uso de calça plástica (fralda), sem causar nenhum tipo de desconforto ou que haja a necessidade de aquisição de uma modelagem maior;

-Modelo 1: Abertura frontal da peça (com velcro ou zíper) para facilitar a realização da prática do cateterismo (introdução de cateter para dreno da urina);

-Modelo 2: Abertura nas laterais (com velcro) para facilitar o vestir e despir e também o dia-a-dia de cuidadores;

-Bolso interno como opção para o armazenamento de bolsa coletora;

-Opção de bolso externo para guardar acessórios.

Indicações:

-Pessoas com deficiência física ou múltipla, principalmente que façam uso de cadeira de rodas ou o uso de órtese ou prótese de membro inferior;

-Idosos com limitações físicas;

-Idosos com Alzheimer ou Parkinson;

-Pessoas em recuperação cirúrgica.

Modelo 1 

megaflex-modelo1

 

Modelo 2

megaflex-modelo2

 

Como Comprar

Dúvidas?

Acesse o nosso WhatsApp – 15 9 8142-8580 ou nosso ChatOnline: www.ladobmodainclusiva.com.br

A empresa

A Lado B Moda Inclusiva, lançada em 2013, pela Dra. Dariene Rodrigues, é pioneira na criação, desenvolvimento, confecção e comercialização de uma moda inclusiva, promovendo soluções que facilitem o cotidiano das pessoas com deficiência e com mobilidade reduzida. Além de permitir que elas ganhem as ruas com elegância e estilo.

É uma moda que está em processo de Patente junto ao INPI (Instituto Nacional da Propriedade Industrial).

Jovens criam mochila adaptada para levar amigo com atrofia muscular à Europa

“Toda minha vida tem sido sobre encontrar o equilíbrio entre o que eu posso e o que eu quero fazer”, diz Kevan Chandler. O norte-americano, de 30 anos, tinha o sonho de conhecer a Europa, e seus amigos deram o máximo para tornar isso realidade, literalmente carregando-o nas costas.

A ideia surgiu em 2013, quando o grupo decidiu se aventurar pelo esgoto da cidade onde moram (pois é) na Carolina do Norte e, como a cadeira de rodas seria uma entrave para Kevan, que tem atrofia muscular espinhal, adaptaram uma mochila para levar o amigo junto. Depois disso, perceberam que seria possível fazer mais.

Eles passaram meses planejando a viagem, que durou três semanas, passando por países como Irlanda, Inglaterra e França, incluindo treinamentos físicos para suportar o peso de Kevan – cerca de trinta quilos. Eles criaram um blog para relatar as experiências e planejam lançar um livro e um filme.

O objetivo do grupo é que, atraindo mais atenção para a história, eles possam desenvolver melhor o projeto da mochila para que outras pessoas com deficiência física possam se aventurar por aí. Kevan e os amigos criaram uma página no Facebook e um perfil no Instagram para manter todo mundo atualizado sobre o projeto.

Fonte: Hypeness

banner-modelo-2-afiliados

Cadeira de rodas permite que usuários se movimentem em pé

A startup de tecnologia israelense UPnRIDE Robotics está lançando uma inovadora cadeira de rodas vertical e se auto estabiliza em uma conferência médica na Alemanha no mês que vem, e a empresa espera que o dispositivo chegue ao mercado no ano que vem.

Antes disso, a UPnRIDE precisa ser aprovada em duas triagens clínicas, uma com a associação dos veteranos norte-americanos em Nova York, para ajudá-la a obter a aprovação regulatória e garantir que planos de saúde possam ajudar os consumidores com os preços elevados do produto.

A empresa foi fundada por Amit Goffer, 63 anos, que em seu empreendimento anterior, a ReWalk Robotics, criou um exoesqueleto robotizado que ajuda pessoas paralisadas da cintura para baixo a andar.

Mas Goffer, que utiliza uma cadeira de rodas desde um acidente com um veículo off road em 1997, nunca pode usar sua primeira invenção porque seus ferimentos causaram perda parcial na função de seus braços.

Com a nova cadeira de quatro rodas, que usa um giroscópio similar do patinete elétrico Segway e um software estabilizador, Goffer pode ficar de pé e andar por terreno urbano acidentado e conversar cara a cara com pessoas que estejam de pé.

“A dignidade, autoestima… de se sentir parte da sociedade novamente, do centro da sociedade, não das margens – o efeito psicológico é dramático”, disse Goffer.

Fonte: EXAME

untitled-design

Esta calcinha dispensa o uso de absorvente e coletor menstrual

No início da semana, a apresentadora Bela Gil causou furor na internet ao revelar que abriu mão do uso de absorventes e coletores menstruais para evitar a poluição do meio ambiente.

“Muitas pessoas me perguntaram por que não uso coletor de menstruação, aquele copinho de silicone. Já usei muitas vezes, mas como tenho menstruação muito forte, não é suficiente”, dizia o vídeo, postado no Snapchat.

Bela revelou também que sua salvação foi a descoberta das calcinhas da marca Thinx, de três amigas nova-iorquinas. Feita de um tecido tecnológico e com quatro camadas, o produto tem a mesma função de um absorvente: é antibacteriano, absorve a umidade e evita vazamentos.

Com modelos que variam de 24 a 39 dólares, a marca é pioneira no mercado, e a promessa é que a mulher possa usá-la durante um período equivalente ao que ficaria com dois absorventes internos.

13900166_1122979434449249_758685410829557159_n

13909117_1122979437782582_78726052460417145_o

13975309_1122979457782580_4653435244632268610_o

As peças duram em média dois anos, e após o uso é recomendado lavar a calcinha individualmente e na sequência na máquina com água fria, para então pendurá-la para secar. As calcinhas estão à venda somente no site da Thinx, e se você se interessou, eles entregam no Brasil.

Fonte: Hypeness

Linha Completa de Órteses Coloridas para você escolher a que mais combina com você!

lado-b-moda-inclusiva

A Avon lacrou mais uma vez com essa aula de representatividade em sua nova campanha

A marca de cosméticos Avon vem sendo vanguarda no processo de descontruir padrões de beleza e incluir qualquer grupo de pessoas, sejam mulheres, gays, trans ou travestis, em nome da aceitação e contra a imposição de maneiras de ser, agir, pensar ou vestir. A campanha se chama #DonaDessaBeleza, e visa de fato romper com grande parte dos estereótipos.

avon4

Estrelando a campanha, nomes que se afirmam como símbolos da inclusão: a funkeira MC Linn da quebrada, definida por ela própria como “bicha, trans, preta e periférica”, a atleta deficiente visual e medalhista paralímpica Terezinha Guilhermina, a empresaria “gorda e feminista” Bee Reis, Samanta Quadrado, modelo com síndrome de down, a rapper negra e feminista Kessidy Keys e a blogueira e deficiente auditiva Camomila Pri. Belezas diversas e amplas, iguais somente na força da inclusão e na derrubada dos padrões com estilo e todo charme.

Os comentários na internet aprovam a campanha, e apontam alegremente para um bem vindo futuro em que todos possam ser contemplados na mídia e na publicidade em geral.

avon8

avon7

“Ninguém, além de você mesma, pode ser a dona das suas escolhas. Dê um chega pra lá no preconceito, nos rótulos e em qualquer tipo de censura à sua beleza. Toda mulher já nasce linda, e é única. A sua beleza só tem em vocês. Seja dona dessa beleza“, diz a campanha, acertando no alvo aquilo que todo mundo vê, mas que ninguém costumava mostrar. A hora de todos – mas todos mesmo – é agora.

avon6

avon5

avon3

Fonte: Hypeness

7 Cores de Órteses para você ficar fashion!

lado-b-moda-inclusiva

Já solicitou o seu Passe Livre Interestadual?

Quem tem direito ao Passe Livre?

Pessoa com Deficiência física, mental, auditiva, visual ou renal crônica comprovadamente carente.

Quem é considerado carente?

Aquele com renda familiar mensal per capita de até um salário mínimo. Para calcular a renda, faça o seguinte:

-Veja quantos familiares residentes em sua casa recebem salário. Se a família tiver outros rendimentos que não o salário (lucro de atividade agrícola, pensão, aposentadoria, etc.), esses devem ser computados na renda familiar.

-Some todos os valores.

-Divida o resultado pelo número total de familiares, incluindo até mesmo os que não têm renda, desde que morem em sua casa.

-Se o resultado for igual ou abaixo de um salário mínimo, a Pessoa com Deficiência será considerada carente.

Quais os documentos necessários para solicitar o Passe Livre?

Cópia de um documento de identificação. Pode ser um dos seguintes:

– Certidão de Nascimento;

– Certidão de Casamento;

– Certificado de Reservista;

– Carteira de Identidade;

– Carteira de Trabalho e Previdência Social;

– Título de Eleitor;

– Carteira Nacional de Habilitação.

Atestado (laudo) da Equipe Multiprofissional do Sistema Único de Saúde (SUS), comprovando a deficiência ou incapacidade do interessado.

Requerimento, acompanhado da Declaração da Composição e Renda Familiar (formulário em anexo).

Como solicitar o Passe Livre?

Fazendo o download dos formulários acima, preenchendo-os. Uma vez preenchidos os formulários originais, assim como uma cópia de um dos documentos de identificação acima relacionados, devem ser enviados ao Ministério dos Transportes no seguinte endereço: Ministério dos Transportes, Caixa Postal 9600 – CEP 70.040-976 – Brasília (DF).

Escrevendo para o endereço, acima citado, informando o seu endereço completo para que o Ministério dos Transportes possa lhe remeter o kit do Passe Livre. Em ambos os casos, as despesas de correio serão por conta do beneficiário.

Atenção: Não aceite intermediários! Você não paga nada para solicitar e obter o benefício do Passe Livre.

Quais os tipos de transporte que aceitam o Passe Livre?

Transporte coletivo interestadual convencional por ônibus, trem ou barco, incluindo o transporte interestadual semi-urbano. O Passe Livre do Governo Federal não vale para o transporte urbano ou intermunicipal dentro do mesmo estado, nem para viagens em ônibus executivo e leito.

Como conseguir autorização de viagem nas empresas?

Basta apresentar a carteira do Passe Livre do Governo Federal junto com a carteira de identidade nos pontos-de-venda de passagens, até três horas antes do início da viagem. As empresas são obrigadas a reservar, em cada viagem, dois assentos para atender às pessoas com deficiência portadoras do Passe Livre do Governo Federal.

Se as vagas já estiverem preenchidas, a empresa tem obrigação de reservar a sua passagem em outra data ou horário. Caso você não seja atendido, procure nos principais terminais rodoviários do país as salas de apoio e fiscalização da Agência Nacional de Transportes Terrestres – ANTT, para obter informações ou fazer reclamações, ou ainda, fale com a Ouvidoria através do telefone 166.

Passe Livre dá direito a Acompanhante?

Somente nos casos de imprescindibilidade da presença de acompanhante comprovada no atestado médico do beneficiário. Este benefício esta vigente desde o dia 18 de março de 2014.

Quais os documentos que a Pessoa com Deficiência deverá apresentar para ter direito ao Acompanhante?

Cópia de um documento de identificação do Acompanhante. Pode ser um dos seguintes:

– Certidão de Nascimento;

– Certidão de Casamento;

– Certificado de Reservista;

– Carteira de Identidade;

– Carteira de Trabalho e Previdência Social;

– Título de Eleitor;

– Carteira Nacional de Habilitação.

Deve constar no Laudo Médico da Pessoa com Deficiência, declaração do mesmo médico que atestou a deficiência, caso seja imprescindível à presença de Acompanhante durante a locomoção em viagem.

Requerimento específico preenchido com os dados do Acompanhante, onde deverá constar além de outras informações, a renda familiar mensal. As regras para calculo da renda per capita do Acompanhante são as mesmas da Pessoa com Deficiência (formulário em anexo).

Quem deverá solicitar a inclusão de Acompanhante no processo da Pessoa com Deficiência?

O processo do Passe Livre é um programa criado para atender a Pessoa com Deficiência e carente, portanto, somente ele ou o responsável legal poderá solicitar a inclusão de Acompanhante no processo.

Será expedida uma Credencial para o Acompanhante?

Não. Somente será expedida credencial para o beneficiário (pessoa com deficiência).

Caso o requerente atenda as exigências das normas legais e o processo tenha sido DEFERIDO com direito à acompanhante, será expedida uma credencial para o beneficiário na qual constará a seguinte descrição “NECESSIDADE DE ACOMPANHANTE”.

A descrição “NECESSIDADE DE ACOMPANHANTE” que consta na credencial significa que no Atestado Médico do beneficiário foi indicado a imprescindibilidade de acompanhante.

Para que o direito ao acompanhante seja efetivado é necessário que o requerente encaminhe o “REQUERIMENTO DO ACOMPANHANTE”, devidamente preenchido. Na falta desse, o Programa enviará correspondência ao requerente para que providencie o encaminhamento, que somente após ser aprovado o seu direito será consumado.

A partir dos dados constantes da credencial do beneficiário, a empresa de transporte de passageiros, antes de emitir o bilhete de passagem, deverá checar no site do Ministério dos Transportes, se consta aprovação e o nome do acompanhante com direito ao benefício.

Informações e Reclamações

Posto de Atendimento: SAN Qd. 3 Bl. N/O Térreo do Edifício do DNIT, na L2 Norte, Caixa Postal: 9.600 – CEP: 70040-976 Brasília – DF

E-mail: passelivre@transportes.gov.br

Telefone: (61) 3329-9068

Horário de atendimento presencial: de segunda a sexta, das 8h às 17h

Horário de atendimento telefônico: de segunda a sexta, das 8h às 20h

Já conhece as calças adaptadas e personalizadas da Lado B Moda Inclusiva?

Aberturas estratégias que garantem mais conforto e independência na hora de vestir, despir e realizar a higiene pessoal?

modelo-2