Lado B Moda Inclusiva: Do Brasil para o mundo!

A Lado B Moda Inclusiva, pioneira no Brasil em roupas inclusivas, agora também começará a disponibilizar suas peças para pessoas com deficiência e com mobilidade reduzida de outros países.

The Lado B Moda Inclusiva, a pioneer in Brazil in inclusive clothes, now also begin to disclose uor parts to person with disabilities and with reduced mobility from other countries.

Visit our Shop! www.ladobmodainclusiva.com.br

Como a lesão medular afeta a circulação?

Por Dra. Dariene Rodrigues

O sistema circulatório é composto por coração, artérias, veias e capilares. É esse sistema que faz circular o sangue, distribuindo nutrientes e oxigênio por todo o nosso corpo.

Uma lesão medular provoca mudanças na pressão arterial e na maneira pela qual seu sangue se desloca pelo corpo. Os batimentos do seu coração não são afetados com a sua lesão (exceto se o nível da lesão for cervical alta), mas a resistência em suas artérias é afetada. O estreitamento das artérias eleva a pressão arterial, enquanto a dilatação das artérias abaixa a pressão arterial.

Depois da lesão medular, suas artérias tendem a permanecer dilatadas. Elas não conseguem se estreitar tanto quanto antes. O resultado é que sua pressão arterial se estabiliza a um nível mais baixo do que antes da lesão.

Essas mudanças em sua circulação tendem a aumentar os riscos de você desenvolver os seguintes problemas:

  • Edema (inchaço);
  • Trombose venosa  profunda / embolia pulmonar (coágulo de sangue);
  • Hipotensão ortostática (queda da pressão arterial quando se senta);
  • Diminuição da média dos batimentos cardíacos.

O que é um edema?

Dependendo do nível da lesão medular, suas pernas e talvez suas mãos poderão edemaciar, ou seja, inchar. Isso acontece porque os músculos de suas pernas ou mãos não são mais movimentados, o que impede a circulação adequada do sangue no seu corpo.

O que fazer para prevenir o edema?

  • Use meias de suave ou média compressão diariamente. As meias podem chegar até a metade de sua coxas;
  • Diariamente faça exercícios com as pernas para aumentar a amplitude de movimento, levando em consideração a ajuda de um familiar ou cuidador;
  • Eleve suas pernas acima do nível do coração por 10 a 15 minutos. Realize esse procedimento de 4 a 5 vezes ao dia;
  • Ao se deitar, coloque travesseiro ou almofada embaixo das pernas para que fiquem elevadas (atrás dos joelhos para não fazer compressão na panturrilha ou batata da perna);

IMPORTANTE:

Caso o edema persista, é necessário procurar um médico, preferencialmente, um cardiologista.
O que é uma trombose?

Quando o corpo não é movimentado regularmente, existe a possibilidade de ocorrer o aparecimento de um coágulo de sangue chamado trombo. O trombo formado na perna pode se desprender e deslocar para outras partes do corpo. Se isto ocorrer, ele passa a se chamar de êmbolo.  Um dos lugares mais comuns para um êmbolo se hospedar é o pulmão.

Caso isto ocorra, é chamado de Embolia Pulmonar.

A prevenção da coagulação do sangue se faz da mesma forma que a prevenção do edema. Seu médico poderá também prescrever uma medicação para diminuir a formação de trombos. Esses medicamentos são conhecidos como anticoagulantes.

Se você tiver trombose em suas pernas, observe os seguintes sinais:

  • A panturrilha (batata da perna) ou coxa de uma das pernas ficará mais quente do que a outra;
  • A panturrilha (batata da perna) ou coxa ficará edemaciada (inchada) de uma perna, mais que a outra.

Mesa ou Prancha Ortostática

mesa-ortostatica

A mesa ou prancha ortostática é indicada para indivíduos com quadro neurológico e pacientes em UTI para posicionar o indivíduo em ortostatismo, ou seja, deslocar da posição horizontal para a vertical (totalmente).

Benefícios:

  • Melhorar o retorno venoso;
  • A propriocepção;
  • A função respiratória;
  • A função vesical (bexiga e intestino);
  • A função músculo-esquelética.

 

Adquira a sua Calça ou bermuda ADAPTADA E PERSONALIZADA, com a TECNOLOGIA MEGAFLEX. Confira!

PARCELE

Adaptações gerais para a casa do idoso

Por Dra. Dariene Rodrigues

Para evitar que o idoso caia e ocorra uma fratura grave, pode ser necessário fazer algumas adaptações na casa, eliminando perigos e tornando as divisões da sua casa mais seguras e adequadas às dificuldades do idoso, como retirar tapetes ou colocar barras de suporto no banheiro, por exemplo.

Alguns idosos desenvolvem dificuldade a andar, porque têm dor nas articulações, falta de massa muscular ou perda de equilíbrio, além de poderem ter dificuldade em enxergar ou mesmo estarem confusos e, por isso, é importante eliminar todos os perigos do interior e exterior da casa para tornar o ambiente mais seguro.

Além disso, se possível, o quarto, a cozinha e o banheiro da casa do idoso devem ficar no piso mais inferior para evitar subir e descer escadas, porque aumenta o risco de cair.

Desta forma, algumas das adaptações que devem ser feitas na casa do idoso incluem:

  • Ter divisões espaçosas e amplas, com poucos armários ou vasos, por exemplo;
  • Prender fios de eletrodomésticos à parede;
  • Dar preferência aos móveis sem quina;
  • Colocar pisos antiderrapantes, principalmente na cozinha e casa de banho;
  • Ter as divisões bem iluminadas, optando por ter vários candeeiros e cortinas claras;
  • Guardar os objetos pessoais mais utilizados em locais de fácil acesso, como armários e gavetas baixas;
  • Retirar tapetes do chão de todas as divisões;
  • Prender tacos que possam estar soltos;
  • Não encerar pisos, nem deixar nada molhado no chão;
  • Substituir ou consertar móveis instáveis;
  • Evitar cadeiras muito baixas e camas muito altas;
  • Usar maçanetas de fácil abertura, evitando as que são redondas.

No caso da habitação do idoso ter escadas estas devem ser baixas, e é importante colocar corrimões dos dois lados das escadas, além de pintar com uma cor forte os degraus e colocar um piso antiderrapante para evitar que o idoso caia. No entanto, em alguns casos, pode ser necessário colocar um elevador que suba as escadas da casa do idoso.

Banheiro

O banheiro do idoso deve ser amplo, não ter tapetes e ter apenas um armário baixo com os objetos essenciais, como toalhas e produtos de higiene, por exemplo.

Deve-se optar por um chuveiro em vez da banheira, onde seja possível entrar uma cadeira de rodas e pode ser necessário colocar barras de apoio para que o idoso se possa segurar durante o banho.

Quarto

O quarto do idoso deve ter uma cama com um colchão firme e, em alguns casos, pode ser necessário escolher uma cama com grades para evitar as quedas noturnas. Os objetos mais usados pelo idoso, como óculos, medicamentos ou telefone, também devem estar sempre ao seu alcance.

Além disso, é importante que o quarto seja bem iluminado, devendo ter uma luz de presença durante a noite.

Exterior da casa

O exterior da casa do idoso também pode por em risco a sua segurança e levar o idoso a cair ou se machucar e, por isso, deve-se:

  • Consertar calçadas e degraus quebrados do jardim;
  • Limpar caminhos e remover entulhos de folhas, vasos ou lixeira;
  • Substituir escadas por rampas com corrimão;
  • Retirar fios elétricos em locais de passagem;
  • Não lavar o quintal com detergente porque torna o pavimento mais escorregadio.

Já conhece as Calças adaptadas da Lado B Moda Inclusiva, que facilitam o vestir e despir para pessoas com mobilidade reduzida, idosos e o dia-a-dia de cuidadores? Confira!

como comprar

Sabia que o BOTOX pode ser usado para a espasticidade?

Por Dra. Dariene Rodrigues

A toxina botulínica, também conhecida por diversos nomes comerciais, por exemplo Botox® ou Dysport®, é uma ferramenta essencial para o tratamento de algumas doenças neurológicas, como por exemplo, a espasticidade, decorrente com freqüência de acidentes vasculares cerebrais, traumatismos raquimedulares e casos de paralisia cerebral.

A espasticidade, caracteriza-se pelo aumento do tônus muscular. Normalmente, tratada com medicações via oral, com relaxantes musculares (tizanidina, ciclobenzaprina, baclofeno, dantrolene, entre outros. E a prática de exercícios físicos e fisioterapia também são indispensáveis.

A utilização da toxina botulínica tipo A, interfere significativamente no prognóstico de reabilitação motora e de qualidade de vida do paciente.

As vantagens são:

  • Permite o relaxamento da musculatura, e o paciente passa a realizar tarefas que antes não conseguia desempenhar;
  • Tem efeito sustentável e reversível, ou seja, o seu efeito dura cerca de 4 a 5 meses, sendo necessário nova aplicação após esse período.
  • Não tem efeitos colaterais sensoriais, nem congnitivos;
  • É menos invasiva que cirurgias;
  • É melhor tolerada que os relaxantes musculares, que costumam sedar muito os pacientes;
  • Contribui com a redução da dor, que geralmente se associa a essas contraturas;
  • Tem efeito positivo sobre a qualidade de vida dos pacientes e familiares.

IMPORTANTE:

Se você apresenta um quadro de forte espasmo muscular, procure seu neurologista, para que o mesmo possa avaliar o seu quadro clínico, e posteriormente indicar ou não o uso da toxina botulínica.

 

Já conhece as Calças e Bermudas adaptadas e personalizadas com a tecnologia MEGAFLEX da Lado B Moda Inclusiva? Confira!

como ter calca-01

Orientações gerais para a reeducação intestinal do lesado medular

Por Dra. Dariene Rodrigues

A reeducação de seu  intestino após a lesão medular é possível com planejamento e dedicação. Esvaziar o intestino de forma regular e evitar a impactação fecal e a constipação intestinal são os objetivos do programa, além de mantê-lo limpo.

Regras básicas para reeducação intestinal

1 – Seguir uma dieta balanceada com alimentos laxantes e ricos em fibras vegetais;
2 – Beber adequada quantidade de líquidos ao dia (de 2 a 2,5 litros/dia);
3 – Realizar exercícios físicos diariamente;
4 – Ter um horário preestabelecido para estimular a defecação, de preferência após uma refeição ou após beber líquidos quentes. Fazer isto, mesmo se tiver evacuado antes;
5 – Sentar no vaso sanitário sempre que possível, ou deitar do lado esquerdo para estimular a defecação;
6 – Realizar massagem abdominal no sentido horário (do lado direito para o esquerdo);
7 – Usar supositórios (se você tiver o intestino com esfíncter flácido);
8 – Realizar estímulo dígito anal ou extração das fezes;
9 – Observar a freqüência das eliminações e a consistência das fezes. Caso estejam infreqüentes, com intervalos superiores  à 3 dias, e/ou endurecidas, certifique-se de que todos os itens anteriores foram realizados. Só então use o laxante oral;
10 – O laxante escolhido deve ser o mais natural possível, usá-lo na dose recomendada e, assim que possível, tentar substituí-lo por alimentos ricos em fibras vegetais.

Estabeleça um horário regular, no qual você possa estimular o esvaziamento intestinal. Suas eliminações podem ser diárias, em dias alternados, ou a cada três dias. Evite usar grandes enemas  (lavagem intestinal). Eles diminuem o tônus normal da musculatura intestinal. Evite também, tomar rotineiramente laxantes orais de composição muito forte.

Material para o esvaziamento intestinal

Luvas, minilax (caso tenha indicação) e óleo mineral (para lubrificação da luva).

ATENÇÃO

Envie seu e-mail para contato@ladobmodainclusiva.com.br e receba informações sobre o Programa de Reeducação Intestinal.

 

Já conhece a Loja Virtual Lado B Moda Inclusiva? Confira

como comprar

IV Fórum Internacional de Moda Inclusiva

Um encontro para estudantes e profissionais de diversas áreas discutirem tendências, debaterem novas ideias e trocarem experiências no âmbito da moda inclusiva e mercado têxtil.

12063662_10204401109021843_7742672071999600069_n

PROGRAMAÇÃO

14h00 – 14h30: Abertura/ Introdução

  • Dra. Linamara Rizzo Battistella 

    Moderadores:

  • Daniela Auler
  • Juliana Lopes
  • Mário Queiroz14h30 – 15h30: 

    Possibilidades de Mercado 

  • Luana Cavalcante: Sweet Angels
  • Dariene Rodrigues: Lado B

16h00 – 16h30: Coffee Break

16h30 – 18h00: Divas Criativas

18h00 – 18h30: Perguntas

Local: Immensità – Espaço de Eventos – Av. Luiz Dumont Villares, 392 – São Paulo.

 

 

Pela 1ª vez, München Fest realiza concurso para rainhas deficientes

O I Concurso de Rainha München Fest Especial, festa alemã tradicional de Ponta Grossa, na região dos Campos Gerais do Paraná, recebe inscrições até 30 de outubro.

Para se inscrever, é necessário ir ao Departamento da Pessoa com Deficiência. Ao todo, são eleitas três rainhas e uma Miss Simpatia.

As candidatas, que devem ter entre 18 e 30 anos, podem se inscrever em três modalidades de deficiência: ausência de membros, dificuldade de locomoção e deficiências auditiva ou visual; cadeirantes; e mulheres com autismo, Síndrome de Down, deficiência intelectual leve e moderada.

Cada candidata pode representar uma entidade sem fins econômicos, uma empresa privada ou ainda uma pessoa física. Para fazer a inscrição, é necessário apresentar os seguintes documentos originais e suas cópias: certidão de nascimento, documento de identidade e CPF.

É preciso, ainda, uma declaração da entidade, empresa ou pessoa física que patrocine a candidata. Por fim, é obrigatório entregar uma foto em alta resolução, gravada em CD. A imagem deve valorizar o rosto; não é necessário usar figurino ou adereços típicos da cultura alemã. As inscrições são gratuitas.

Eleição

No dia 4 de novembro, ocorre uma reunião com as inscritas para o lançamento oficial das concorrentes. A eleição está prevista para 6 de novembro, às 18h, no Departamento da Pessoa com Deficiência. O concurso é realizado em duas etapas: a primeira, classificatória, escolhe 10 inscritas por meio dos quesitos beleza e desenvoltura.

Na segunda fase, os jurados avaliam a elegância e os conhecimentos sobre as conquistas dos Direitos da Pessoa com Deficiência. Já a Miss Simpatia é escolhida pelas próprias concorrentes. As vencedoras ganham um traje típico alemão e duas diárias em uma pousada no litoral.

Em 2014, a cadeirante Rafaela Soares foi a Rainha de Honra da 25º München Fest. Ela ocupou o cargo como forma de um projeto piloto para a realização do primeiro concurso para rainhas especiais. Segundo a prefeitura, a experiência dela foi o que norteou a elaboração de uma competição focada na inclusão.

A 26ª München Fest começa no dia 27 de novembro e segue até 6 de dezembro. Além da programação de shows, o evento conta com o concurso da Rainha e desfile de blocos. Os valores dos shows e do chope ainda não foram divulgados.

Fonte: G1

Cuidados gerais com o coto amputado

Por Dra. Dariene Rodrigues

O coto é a parte do membro que permanece após uma amputação e, para uma boa cicatrização é importante ter alguns cuidados como manter o coto sempre limpo e seco ou massagear o coto com creme hidratante.

A amputação pode ser realizada devido a má circulação em pessoas com diabetes, tumores ou traumatismos provocados por acidentes. As partes do corpo que podem ser amputadas são dedos, mãos e braços, pés ou pernas, e a cicatrização do coto demora entre 6 meses a 1 ano e a aparência da cicatriz vai melhorando a cada dia que passa.

A higiene do coto após uma amputação deve ser feita diariamente e inclui:

  • Lavar o coto: o coto deve ser lavado com água morna e sabão neutro pelo menos 1 vez ao dia;
  • Secar o coto: deve ser seco com uma toalha macia, sem raspar na cicatriz;
  • Fazer massagem em torno do coto: o paciente deve aplicar creme hidratante no coto, como óleo de amêndoas doces, por exemplo, fazendo uma massagem em torno do coto, pois além de hidratar a pele, prevenindo a sua descamação, melhora a circulação e flexibilidade da pele.

Os pacientes com membro amputado devem evitar lavar o coto com água muito quente e usar produtos químicos, inclusive álcool, pois seca a pele, atrasa a cicatrização e promove a fissura da pele.

Alguns pacientes que têm maior chance de suar devem lavar o coto várias vezes ao dia, de manhã e à noite, por exemplo.

Além dos cuidados de higiene, alívio da dor e enfaixamento do coto, a pessoa com amputação deve:

  • Manter o coto sempre em posição funcional, tal como fazia quando tinha o membro completo, para manter a mobilidade;
  • Exercitar o coto, fazendo pequenos movimentos todos os dias várias vezes ao dia para manter uma boa circulação;
  • Mudar de posição do corpo, para evitar contraturas várias vezes ao dia;
  • Não por o coto pendurado fora da cama ou cruzado sob as pernas, nem por objetos pesados sob o coto;
  • Tomar banhos de sol, para receber vitamina D e fortalecer o osso e a pele do coto;
  • Evitar pancadas e ferimentospara não prejudicar a cicatrização do coto.

Além destes cuidados, fazer uma alimentação rica em alimentos cicatrizantes, e beber muita água ajuda a manter as células da pele e dos tecidos hidratadas e saudáveis, facilitando a cicatrização e prevenindo infeções.

O paciente com um membro amputado deve ir ao médico quando:

  • Tem calor, coceira e vermelhidão no coto;
  • Sair liquido amarelado pela cicatriz;
  • O coto apresente odor desagradável;
  • Tenha o coto frio, mesmo usando meias de compressão;
  • Apresenta ínguas, próximas do local amputado, vermelhas e inchadas;
  • A pele do coto está cinzenta ou azulada.

Estes sinais alertam podem indicar infecção ou a circulação daquela região do corpo estar comprometida, sendo necessário o médico avaliar a situação e adequar o tratamento.

 

Já conhece a TECNOLOGIA do JEANS MEGAFLEX das calças e bermudas adaptadas e personalizadas da Lado B Moda Inclusiva para amputados? Confira!

amputado-ladob-modainclusiva

Desfile com modelos anãs em Paris combate ‘padrões de beleza’

Uma dezena de jovens de menos de 1,30 m de altura desfilaram no dia 2 de Outubro em Paris em uma iniciativa que busca “combater os ditados discriminatórios da beleza e apresentar outra perspectiva à indústria da moda”.

A Dwarf Fashion Show aterrissou na capital francesa após ter passado por Nova York, em uma terceira edição que quer dar aos anões confiança em si mesmos e promover valores como a igualdade, independentemente do físico e das medidas de cada pessoa.

Durante o desfile, que aconteceu no Ministério de Cultura da França, dez modelos não profissionais de diferentes cantos do mundo vestiram peças carregadas de cor, recortes, plumas e lantejoulas, criados pela agência nova-iorquina Creative Business House, fundada por Myriam Chalek.

“Tenho problemas para encontrar roupa para mim”, confessou Jordanna, uma das jovens modelos, que acrescentou que seus ombros “são muito estreitos” e sua cintura “pequena, mas os quadris largas”

“É difícil encontrar roupa que se adapte ao meu corpo corretamente e este vestido se ajusta como uma luva”, disse.

As modelos, que posaram com descontração e alegria durante o show em uma versalesca sala do Ministério, usavam penteados naturais cabelos soltos com ondas marcadas e maquiagem festiva, mas discreta.

A última roupa do desfile foi um terninho curto de noiva, com saia de voil e cauda de plumas em um estilismo que surpreendeu os convidados: “parece um anjo”, avaliaram alguns.

“Mais do que um evento se trata de uma organização que pretende ajudar as pessoas de tamanho pequeno e encontrar um lugar no mundo da moda, um mundo que está completamente fechado para eles”, explicou Doniya, co-organizadora do desfile.

Ela destacou a necessidade de que se produzir uma mudança no mundo da moda para valorizar outros tipos de beleza.

“Acredito que não há muitas pessoas que sofram de nanismo e se dediquem profissionalmente à moda, mas pode ser que este projeto seja um começo para marcar a mudança”, avaliou.

Outras marcas como Nuxe, Benefit Cosmetics e Make up Forever, colaboraram com o projeto, fornecendo maquiagem e maquiadores profissionais.

Creative Business House é uma companhia de referência nos Estados Unidos para estilistas e desenhistas que buscam assessoria legal ou logística no desenvolvimento de seu trabalho.

O Dwarf Fashion Show viajará para Dubai e Tóquio nos próximos meses, e continuará apostando na mudança dos padrões da indústria.

dwarf-fashion-show-paris-10

dwarf-fashion-show-paris-9

dwarf-fashion-show-paris-2

Fonte: G1

O Intestino Neurogênico do lesado medular

Por Dra. Dariene Rodrigues

Após uma lesão medular, o sistema nervoso não consegue mais controlar a função intestinal da mesma maneira como fazia antes. Para a maioria das pessoas, o processo digestivo é controlado a partir do cérebro por reflexos e ações voluntárias. A lesão medular interfere com esse processo bloqueando as mensagens que partem do sistema digestório para o cérebro e deste pela medula espinhal, de volta para o intestino. Como isto afetará a função intestinal dependendo do nível da lesão na medula.

Em condições normais, o cólon armazena as fezes até elas serem impelidas para fora com os movimentos intestinais. Quando as fezes são empurradas para o reto, é desencadeada uma ação reflexa. Esta ação provoca a contração do esfíncter anal, mantendo-o fechado para que as fezes não possam escapar. Sem a lesão medular, as pessoas podem sentir as fezes no reto e, voluntariamente, contrair o esfíncter anal para segurá-las.

Assim, terão tempo para encontrar um banheiro, relaxar o esfíncter anal e eliminar as fezes. A lesão medular as impede de sentir as fezes no reto e de controlar o seu esfíncter anal.

Isto também pode afetar a peristalse (como as fezes se movem através do seu cólon). Geralmente, ocorrem dois padrões básicos de intestino neurogênico após uma lesão medular, dependendo de qual parte da medula foi lesada.

fig-1
Trato Gastrointestinal
  • Intestino reflexivo (ou espástico): Resulta, em geral, de lesões altas na medula, no nível cervical (pescoço) ou torácico (tórax). Este tipo de lesão interrompe as mensagens entre o cólon e o cérebro que são retransmitidas pela medula espinhal. Abaixo da lesão, a medula espinhal ainda coordena os reflexos intestinais. Isto significa que embora não sinta necessidade de eliminar as fezes do intestino, ainda há a peristalse reflexa. A presença de fezes formadas no reto pode desencadear um reflexo de movimento intestinal sem aviso. Entre os movimentos intestinais, o esfíncter anal permanecerá fechado e o seu cólon responderá a uma estimulação retal digital e a medicações estimulantes com peristalse reflexa que expulsará as fezes para fora.
  • Intestino arreflexivo (ou flácido): Resulta de uma lesão na extremidade inferior, no final da medula espinhal (ao nível lombar ou sacral) ou nos ramos dos nervos que se dirigem para fora do intestino. Isto significa que a pessoa terá uma peristalse reduzida e redução do controle reflexo do esfíncter anal. Nesta situação, o intestino não é controlado pelos reflexos vindos da medula espinhal. O paciente pode não sentir necessidade de eliminar as fezes, e o seu reto poderá esvaziar-se facilmente, por si mesmo. A localização da lesão medular tem muito a ver com o programa de educação intestinal que melhor se adaptará em cada caso.

Um programa de reeducação intestinal bem planejado poderá ajudar o paciente com lesão medular a ter uma vida mais saudável. O programa pode ajudar a prevenir movimentos intestinais (ou de evacuação) não planejados (também chamados de evento intestinal, incontinência ou involuntários); a evitar problemas como a constipação; a retomar o controle de uma função corporal que, se negligenciada, pode causar embaraços, constrangimentos ou situações desagradáveis; a melhorar a confiança para enfrentar situações de trabalho e sociais sem embaraço.

ATENÇÃO

Envie seu e-mail para contato@ladobmodainclusiva.com.br e receba informações sobre o Programa de Reeducação Intestinal.

como comprar