Super Promoção de Carnaval: Leve 3 Pague 2!

A Lado B Moda Inclusiva desenvolve e comercializa exclusivamente 2 tipos de calças e bermudas adaptadas e personalizadas para cadeirantes.

Aproveite o nosso Super Promoção de Carnaval e confira a qualidade das nossas peças. LEVE 3 E PAGUE 2!!!

Como adaptar e personalizar o seu pedido?

1-Escolha a Peça:

-Calças

-Bermudas

2-Escolha o Modelo:

Modelo 1: com abertura na frente em velcro ou zíper.

Modelo 2: com abertura na frente e nas laterais das pernas, além do bolso coletor interno para colocar a bolsa coletora.

37410826_1385267114906266_1086380607082070016_n  Calça Masculina - modelo 2

3-Escolha o tipo de tecido:

Brim Leve – Cores: preto, marinho, caqui e vinho.

Tactel UVProtection (secagem rápida e proteção solar) – Cores: preto, marinho e camuflado.

Moletom – Cores: cinza, azul royal, vermelho e verde militar.

4-Numeração / Tirar as Medidas:

Bem Simples! Você poderá tirar as medidas com uma régua ou fita métrica de uma peça que você usa. Confeccionamos toda numeração infantil e adulta.

5-Formas de Pagamento:

-À vista no boleto ou depósito bancário;

-Parcelado no cartão de crédito em 2x sem juros ou em até 10x com juros via PagSeguro.

6-Como Comprar:

Através do WhatsApp 15 99747-5034 você tira todas as suas dúvidas e monta o seu pedido.

Já conhece o Tênis Lado B para facilitar o calçar de pessoas com ou sem deficiência?

tenis-ladob

Saiba quais doenças dão direito a compra de carro com isenção para PCD

A lei de isenção de impostos foi criada para facilitar a mobilidade de pessoas que, em razão de deficiências físicas ou debilidades, tenham restrições para realizar atos comuns no seu dia a dia, como dirigir e se deslocar de um lugar ao outro.

Alguns tipos de deficiências ou doenças crônicas que comprometam a mobilidade se enquadram nas condições necessárias para a compra de carros para PcD.

Confira, abaixo, a lista de doenças que podem garantir a isenção:

-Amputações

-Artrite

-Artrodese (com sequelas)

-Artrose

-Autismo

-AVC

-AVE (Acidente Vascular Encefálico)

-Bursite e Tendinite graves

-Câncer (alguns tipos)

-Cegueira

-Contaminação por radiação

-Deficiência Mental (severa ou profunda)

-Deficiência Visual

-Deformidades congênitas ou adquiridas

-Doença de Paget em estados avançados

-Doença de Parkinson

-Doença renal, do fígado ou do coração

Doenças Degenerativas

-Doenças Neurológicas

-Encurtamento de membros e más formações

-Esclerose Múltipla

-Escoliose Acentuada

-Hanseníase

Hérnia de Disco

-LER (lesão por esforço repetitivo)

-Lesões com sequelas físicas

-Linfomas

-Manguito rotador

-Mastectomia

-Mastectomia

-Nanismo

-Neoplasia maligna

-Neuropatias diabéticas

-Paralisia Cerebral

-Paralisia irreversível e incapacitante

-Paraplegia

-Poliomielite

-Ponte de Safena (quando há sequelas ou limitações)

-Problemas graves na coluna

-Próteses internas e externas

-Quadrantomia

-Renal Crônico com uso de fístula

-Reumatoide

-Síndrome do Túnel do Carpo

-Talidomida

-Tendinite crônica

-Tetraparesia

-Tetraplegia

-Tuberculose ativa

No caso de dúvidas, como a existência de outras doenças crônicas, o Detran deve ser consultado.

Fonte: Lado B Moda Inclusiva

Já conhece o Tênis Lado B para pessoas com ou sem deficiência?

tenis-ladob

 

Projeto prevê pagamento de BPC a mais de uma pessoa com deficiência da mesma família

O Projeto de Lei 3260/19 permite que mais de uma pessoa com deficiência da mesma família possa receber o Benefício de Prestação Continuada (BPC). O texto, que tramita na Câmara dos Deputados, foi proposto pelo Senado e altera a Lei Brasileira de Inclusão da Pessoa com Deficiência.

Autora da proposta, a senadora Mara Gabrilli (PSDB-SP) argumenta que o objetivo é equiparar a condição das pessoas com deficiência à das pessoas idosas, para as quais a Lei Orgânica da Assistência Social (Loas) reconhece o direito individual ao BPC.

Na prática, o projeto determina que o BPC recebido por qualquer membro da família em razão de deficiência não será computado para fins de cálculo da renda familiar per capita que ampara sua concessão.

“É tão certo que o direito é pessoal e o valor não pode ser somado ao cálculo da renda familiar que esse é o procedimento adotado no caso dos idosos, permitindo-se, com toda razão, o acúmulo do benefício (recebimento do BPC por mais de um membro da mesma família com um idoso)”, diz a parlamentar.

Tramitação

O texto será analisado em caráter conclusivo pelas comissões de Defesa dos Direitos da Pessoa Idosa; de Defesa dos Direitos das Pessoas com Deficiência; de Seguridade Social e Família; de Finanças e Tributação; e de Constituição e Justiça e de Cidadania.

Fonte: Câmara dos Deputados

COMBO: 1 Bermuda + 1 Tênis Lado B

Aproveite nosso Combo Promocional!

1 Bermuda (tecido moletom) + 1 Tênis Lado B:

Valor: De R$ 309,80 + Frete por R$ 259,80 + Frete ( 3x sem juros ou até 10x via PagSeguro ).

bermuda-adaptada-ladob-5

bermuda-adaptada-ladob-6

Cores disponíveis: Azul, Cinza, Vermelha e Verde Militar.

folheto-dariene_web3 - Copia

Cores disponíveis: Preto, Bordô, Azul e Pink.

Numeração: 25 ao 44.

Como tirar o passe livre para pessoas com deficiência via internet

Pessoas com deficiência agora podem obter o passe livre para viagens rodoviárias, aquaviárias e ferroviárias interestaduais pela internet.

Anteriormente era necessário que a pessoa com deficiência obtivesse uma comprovação de renda no Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) e apresentasse um atestado médico em uma unidade de saúde. Agora todas as pessoas com deficiência e já cadastradas no Benefício de Prestação Continuada da Assistência Social (BPC) que já comprovaram renda e condição física, passam a solicitar e obter a autorização via online do Passe Livre Interestadual.

O novo modelo começa a ser aplicado de imediato no Distrito Federal e será levado na sequência às demais unidades da Federação. Atualmente, no Brasil, há aproximadamente 210 mil pessoas com deficiência cadastradas para utilizar passe livre em viagens interestaduais, mas com o novo sistema a expectativa do governo é que o número chegue a 2,5 milhões.

Solicite já: https://www.gov.br/pt-br/servicos/obter-passe-livre

Fonte: Governo do Brasil

Já conhece o Tênis Lado B usar com ou sem a órtese?

tenis-ladob

Super Promoção de Natal: Compre 1 Calça e Ganhe 1 Bermuda

A Lado B Moda Inclusiva têm uma Super Promoção para você neste Natal!

Calças e Bermudas Adaptadas com tecidos 100% nylon (TACTEL) produzidos com o fio UV Protection®. Faz parte da família de fios inteligentes da Rhodia®/Solvay®.

82496875_2935004166519072_9088634364408889344_n  82573334_712145795979174_1722890808979357696_n

82283537_742184516273871_4201746035862667264_n    81927049_2382111148561273_2980675769774112768_n

Cores: preto, marinho, vinho e camuflada.

Adaptação: Podem ser adaptadas com velcros ou zípers.

Indicações: Atividades diárias, práticas esportivas e de reabilitação.

Benefícios: Conforto, Secagem Rápida e Proteção Solar 50+ (proteção aos raios UV-A e UV-B, protegendo a pele durante a exposição ao sol).

Valor: De R$ 139,90 (Calça) + 119,90 (Bermuda) + Frete = R$ 259,80

Valor Promocional: R$ 149,90 + Frete

Formas de Pagamento: em até 2x sem juros ou até 10x via PagSeguro

Como Comprar: Entre em contato pelo nosso WhatsApp: 15 99747-5034 para tirar todas as dúvidas sobre o tecido, adaptação, cores e tamanhos.

 

Como calçar de forma prática com ou sem órtese?

tenis-ladob

Coleção de Camisetas Braille Lado B

Já conhece a nossa Camiseta Braille Lado B?

Modelo: Camiseta de manga curta

Composição: 100% algodão

Tamanhos: P, M, G e GG

Cor: Preta

Estampa: Na frente da camiseta há a impressão do braille em relevo da frase “O idioma de quem sente o mundo”. Abaixo há a impressão da mesma frase em letras grandes na cor branca.

Acabamento: reforço na gola e ombros, garantindo excelente caimento, maior conforto, durabilidade e qualidade do produto.

Diferenciais:

  • Estampa com braille relevo.
  • Código QR Code em relevo com todas as informações da peça.
  • Etiqueta braille relevo identificando o tamanho e cor.
Confira uma de nossas estampas!
camiseta-lado-b-braille
estampa-braille-ladob
camiseta-ladob-brailleA Lado B Moda Inclusiva também confecciona camisetas braille personalizadas para eventos.
Entre em contato e faça um orçamento – Whats: 15 99747-5034.

Tênis Lado B: um tênis para usar com ou sem a órtese

O Tênis Lado B foi desenvolvido para facilitar o calçar principalmente das pessoas que apresentam restrição de movimento do pé e tornozelo ou que fazem o uso de órtese ou prótese.

ortese-tenis-ladob

DIFERENCIAIS:

  • Tênis para pessoas com ou sem deficiência;
  • Confeccionado em tecido de lona (maleável);
  • Solado mais largo, leve e com a forma unissex, proporciona uma acomodação mais confortável dos pés;
  • Abertura lateral e frontal com zíper que possibilita praticidade na hora de calçar e descalçar;
  • Pode facilitar o uso de órteses (talas ou goteiras) e próteses;
  • Numeração Infantil e Adulta: do 24 ao 44;
  • Várias cores: preto, bordô, azul royal, rosa pink e outros.

cores-tenis-ladob

COMO MEDIR SEU PÉ OU A SUA ÓRTESE:

COMO MEDIR

NUMERAÇÃO:

Após a medição você deverá entrar em contato pelo WhatsApp: 15 99747-5034 ou E-mail: contato@ladobmodainclusiva.com.br para verificarmos o número do tênis mais adequado segundo a nossa modelagem.

Numeração infantil: 24 até o 33

Numeração adulta: 34 até o 44

Forma de Pagamento: À Vista (depósito, boleto ou cartão) ou Parcelado no cartão (3x sem juros ou em até 10x com juros via PagSeguro).

CDH aprova projeto que classifica visão monocular como deficiência

baixa-visao-e-visao-monocular-19022018090032

A Comissão de Direitos Humanos (CDH) aprovou, nesta quinta-feira (5), substitutivo do senador Flávio Arns (Rede-PR) a projeto que classifica a visão monocular como deficiência visual e assegura à pessoa que enxerga com apenas um olho os mesmos direitos e benefícios garantidos à pessoa com deficiência.

O texto (PL 1.615/2019), de autoria dos senadores Rogério Carvalho (PT-SE), Rose de Freitas (Podemos-ES), Wellington Fagundes (PL-MT) e Otto Alencar (PSD-BA), prevê também a implantação de prótese aos portadores de visão monocular. Na justificativa do projeto, os autores observam que indivíduos com visão monocular, além de terem problemas na definição de profundidade, apresentam redução de cerca de 25% no campo visual. “Com frequência, indivíduos monoculares sofrem com a colisão em objetos e/ou pessoas, dificuldades para subir e descer escadas e meios-fios, cruzar ruas, dirigir, praticar esportes, além de outras atividades da vida diária que requerem a esteropsia e a visão periférica. Portanto, demandam cuidados especiais da sociedade, da família e do poder público”, dizem os autores.

Os signatários da proposta, destacam também o fato de que existem várias decisões do Supremo Tribunal Federal (STF) e do Superior Tribunal de Justiça (STJ) que reconhecem a visão monocular como deficiência, garantindo aos indivíduos nessa condição os direitos previstos por lei a todos os deficientes. Em audiência pública realizada pela CDH no início de julho, um dos autores da proposição, o senador Rogério Carvalho, médico por profissão e pessoa com visão monocular, afirmou que, para a medicina, a deficiência que apresenta o impede de realizar cirurgias.

Em seu substitutivo, o senador Flávio Arns (Rede-PR) acrescenta que o Conselho Nacional de Trânsito (Contran) proíbe o exercício de atividade remunerada de condução de veículos automotores para portadores de visão monocular. Flávio Arns retirou a sugestão contida no texto original de denominação da futura norma como Lei Amália Barros, jornalista e militante dos direitos de deficientes monoculares. Segundo ele, essa alteração foi necessária para atender ao princípio da impessoalidade da administração pública.

O relator também suprimiu do projeto original os artigos 3º e 4º que têm o objetivo de assegurar aos portadores de visão monocular acesso a serviços públicos de saúde e educação de melhor qualidade. Em sua avaliação, esses dispositivos criam prerrogativas para a visão monocular inexistentes para outros tipos de deficiência. O texto segue agora para análise da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ).

Audiências

A CDH também aprovou uma série de requerimentos para a realização de audiências públicas. O senador Paulo Paim (PT-RS), por exemplo, quer um ciclo de debates sobre a reforma tributária e uma audiência sobre o enfrentamento à violência contra as mulheres. Já o senador Styvenson Valentim (Pode-RN), apresentou um requerimento para a debater a situação das audiências de custódia no Brasil.

Fonte: Agência Senado

Comissão aprova atendimento obrigatório em Libras nos órgãos públicos

libras-1

A Comissão de Defesa dos Direitos das Pessoas com Deficiência aprovou proposta que obriga os órgãos públicos que prestam atendimento à população ou fornecem informações aos cidadãos a disponibilizar atendimento em Língua Brasileira de Sinais (Libras) às pessoas com deficiência auditiva. A obrigação também valerá para as concessionárias de serviço público, como as companhias de água e luz.

Os deputados aprovaram o substitutivo da deputada Maria Rosas (Republicanos-SP) ao Projeto de Lei 535/15 e apensados (PLs 2230/15, 2637/15, 3153/15, 3320/15 e 4440/16). O parecer altera o Estatuto da Pessoa com Deficiência (Lei 13.146/15). O texto original foi apresentado pelo deputado Carlos Gomes (Republicanos-RS).

Além do atendimento obrigatório em Libras, a versão aprovada cria a Central Única de Comunicação e Intermediação de Intérpretes de Libras e de Guias-intérpretes, que vai garantir, dentro de cada órgão, a oferta de atendimento às pessoas com deficiência auditiva.

A relatora afirmou que a proposta garante a plena acessibilidade à informação das pessoas surdas, em consonância com a Convenção das Nações Unidas sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência, do qual o Brasil é signatário. “Apesar dos avanços legislativos, observa-se uma lacuna relativa ao atendimento em espaços públicos coletivos”, disse Maria Rosas.

Tramitação

O projeto tramita em caráter conclusivo e ainda será analisado pelas comissões de Finanças e Tributação; e de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJ).

Fonte: Agência Câmara Notícias